domingo, 26 de julho de 2015

TAG - Hall of Shame Literário


Oi, gente! Tudo bem com vocês?

Aqui estou eu, respondendo mais uma TAG em um domingo!

Desta vez quem me marcou foi a Tami do blog Meu Epílogo, aliás, ela mesma que criou esta TAG super bacana!
A ideia é simples, citar 05 livros que todo mundo leu, menos você! Podem ser clássicos, Best-sellers, enfim, não importa, mas sabe aquele livro que você se sente super por fora por não ter lido ainda? Então, são estes!


E aqui estão, minhas 05 escolhas de títulos para meu Hall of Shame Literário!



     1984 – George Orwell

Já vou começar com uma porretada, sim, me sinto um ET por ainda não ter lido este livro!
Amo a premissa e até já assisti ao filme que é super antigo, mas ler o livro que é bom, nada ainda!













Divergente (série)  – Veronica Roth

Aqui a situação é a seguinte: Gostei muito dos dois primeiros filmes, AMO distopias, porém, não sinto a menor vontade de ler os livros!
Não sei o motivo, desconfio que o fato de terem me soltado um gigantesco spoiler ao me contarem o que acontece com a protagonista no final, acabou com a curiosidade que eu tinha em ler a série.



O Retrato de Dorian Gray – Oscar Wilde

Clássico. Todo mundo ama, até eu! Como eu amo se nunca li? Não faço idéia!
Se eu amo e quero ler, POR QUE ainda não li? #ShameOnMe














As Virgens Suicidas – Jeffrey Eunides

Acredito que este seja o livro que está mais perto de sair do meu Hall of shame! Ele já está na minha wishlist, então cedo ou tarde irei comprá-lo!
 Cedo, espero!














Mulherzinhas – Louisa May Alcott

Quando criança, assisti ao filme Little Women - “Adoráveis Mulheres” que é baseado nesta obra, e foi amor à primeira vista! Encantei-me com a história e principalmente com as personagens! Jurei que um dia iria ler o livro também, pena que este dia ainda não chegou.












E então, o que acharam das minhas escolhas? Já leram estes livros? Quais são os livros que estão no seu Hall of Shame? Me contem aí, vou adorar saber!


Beijos



quarta-feira, 22 de julho de 2015

Resenha: Não conte a Ninguém - Harlan Coben #MLI2015

Mais uma leitura da Maratona de inverno finalizada!


Ultimamente não tenho lido muitos thrillers policiais, gosto muito do gênero sou muito fã de Agatha Christie, por exemplo, mas por algum motivo eles têm ficado meio encostados na minha estante. 


Uma das coisas bacanas de seguir a TBR pré-estabelecida no início da maratona, é que você finalmente pode dar a chance de um livro que está a muito tempo “esquecido” por você, finalmente ser lido. 
Foi exatamente isto que aconteceu com “Não conte a ninguém” que acabou sendo uma das minhas escolhas para a segunda semana da maratona, a semana do Thriller, Suspense e/ou Terror.

O livro também foi meu escolhido para o desafio “Um livro de capa azul”.


Título Nacional: Não Conte a Ninguém

Título Original: Tell no One

Autor: Harlan Coben

Editora: Arqueiro

Páginas: 256 páginas

Ano: 2009

Sinopse: Há oito anos, enquanto comemoravam o aniversário de seu primeiro beijo, o Dr. David Beck e sua esposa, Elizabeth, sofreram um terrível ataque.
Ele foi golpeado e caiu no lago, inconsciente. Ela foi raptada e brutalmente assassinada por um serial killer.
O caso volta à tona quando a polícia encontra dois corpos enterrados perto do local do crime, junto com o taco de beisebol usado para nocautear David.
Ao mesmo tempo, o médico recebe um misterioso e-mail, que, aparentemente, só pode ter sido enviado por sua esposa.
 Esses novos fatos fazem ressurgir inúmeras perguntas sem respostas: Como David conseguiu sair do lago? Elizabeth está viva? E, se estiver, de quem era o corpo enterrado oito anos antes? Por que ela demorou tanto para entrar em contato com o marido? Na mira do FBI como principal suspeito da morte da esposa e caçado por um perigosíssimo assassino de aluguel, David Beck contará apenas com o apoio de sua melhor amiga, a modelo Shauna, da célebre advogada Hester Crimstein e de um traficante de drogas para descobrir toda a verdade e provar sua inocência.

Coben é um dos autores de mistério policial que eu mais gosto, ele sempre consegue dar um toque de surpresa no final da trama que deixa a leitura muito mais empolgante.

De início já criei uma empatia bem legal com o protagonista Beck, e o que chamou muito a atenção durante a leitura foi a forma que a história é narrada. Ao mesmo tempo em que temos Beck nos contando em primeira pessoa os acontecimentos, temos também um narrador observador, que nos mostra o ponto de vista de outros personagens, o que eles estão fazendo e pensando, enfim, como estão reagindo ao desenrolar da história. Quase como um filme onde podemos acompanhar vários personagens ao mesmo tempo, sabe?

Demorei um pouco até me acostumar com esta narrativa, mas aos poucos fui me adaptando até que acabou fluindo naturalmente depois de um tempo.
Coben soube criar personagens complexos cheios de qualidades e defeitos, muito bem construídos!

Como sempre, o ponto alto do livro são as reviravoltas durante toda a trama, quando você acha que está entendendo o que está acontecendo, tudo muda, Coben usa bastante do artifício “surpresa” que, aliás, na minha opinião, é o ponto mais forte de sua escrita.

A fórmula que o Autor usa não muda muito de um livro para o outro, mas quem gosta de sua escrita não se incomoda com isto.

Não conte a Ninguém é um livro ágil e direto, os diálogos são inteligentes e o ritmo da narrativa não cai em nenhum momento, a todo instante acontece algo que prende o leitor a continuar tentando descobrir o que realmente aconteceu com Elizabeth.



Que gosta de literatura policial certamente irá gostar da leitura!

O livro foi adaptado para o cinema francês no ano de 2006 (o livro é de 2001) e conta com a incrível atuação do Ator François Cluzet (Os Intocáveis) no papel principal de Beck.

Beijos




domingo, 19 de julho de 2015

TAG das Séries e Seriados

E aqui estamos nós com mais uma TAG legal para responder!

Assim que vi a TAG das Séries e Seriados no blog Dei um Jeito da Giovana foi amor à primeira lida! Kkk

Amo séries embora não as acompanhe tanto quanto gostaria já que são tantas opções incríveis que temos hoje em dia!


Vem comigo que vou te contar as séries que conquistaram meu coração e até as que não conquistaram de jeito nenhum!

1 - Qual é a sua série favorita?


Já começa com pergunta difícil né gente? Impossível escolher uma série como preferida, já aviso que foi com MUITO sofrimento que coloquei estas três aqui.


 2 - Qual série você não gosta de jeito nenhum?


Não consigo achar graça nestas meninas. Sorry, juro que tentei, mas não sai nem uma risadinha!


3 - Qual foi a última série que você assistiu?


A última que assisti, aliás, estou assistindo e curtindo bastante é Flash
Não é o tipo de série que costuma chamar minha atenção, mas estou acompanhando diariamente.


4 - Qual série tem melhor figurino?


Sei que existem séries com figurinos lindíssimos, principalmente séries de época, mas pra mim, nada foi mais marcante que Gossip Girl.
Sempre ficava encantada e super buscava inspirações no figurino da série, cheguei até a aderir as tiaras da Blair por um tempo. #nãomejulguemporfavor


5 - Qual série tem a melhor trilha sonora?


Pensei em várias, mas no final a que mais fez sentido pra mim é Glee né gente!
Que outra série conseguiu englobar tantos estilos e músicas diferentes? Nenhuma!


6 - Qual é seu personagem favorito de todos os tempos?


Esta foi outra pergunta difícil.
Escolho o nada politicamente correto, mas amado por todos (ou quase todos) Dr. House!


7 - Cite um personagem que você tem algo em comum.


Veronica Mars! 
A personagem principal da série que também levava seu nome tinha umas atitudes bem parecidas com as minhas em muitas situações, ou será que as minhas eram parecidas com as dela? Só sei que super me identificava!


8 - Qual o personagem que você mais odeia?


Marissa Cooper, de The O.C.
Nunca fui muito fã da personagem e quando Mischa Barton fez a caca de sair da série de uma hora pra outra dando um final péssimo para a coitada da Marissa, odiei mais ainda!


9 - Qual série você tem vontade de assistir?


Quero muito assistir GOT, tentei começar, mas no segundo episódio eu já estava depressiva com as mortes e violência e parei! Kkk
Mas juro que tentarei novamente!


10 - Qual série você não tem vontade de assistir?


Downton Abbey. Não sei o porquê, simplesmente nunca fiquei afim.


11 - Qual série começou bem e foi ficando ruim com o tempo?


Supernatural, certamente!
Adorei as primeiras temporadas, mas acho que as histórias foram acabando, galera foi perdendo a criatividade e aí começou um morre/vai pro inferno/ressuscita sem fim e acabei abandonando a série.


 12 - Qual série você indica pra todo mundo?


A série que eu certamente mais faço propaganda indicando por aí é
American Horror Story.
Obviamente o terror não poderia ficar fora da minha lista, e sou muito fã desta série.
O fato de ela ter um formato diferente sendo uma antologia onde cada temporada nos trás uma história diferente da outra é mais um atrativo para quem costuma ter preguiça de acompanhar séries longas que podem acabar caindo na mesmice.
American Horror Story além de ser viciante tem sempre um elenco incrível (hello Evan Peters e Jessica Lange)!




Gostaram das minhas escolhas?

Comentem aí o que vocês tem assistido to sempre querendo saber mais sobre séries legais!

Beijos


quinta-feira, 16 de julho de 2015

1º Sorteio do Wonderbooks da Alice!

E está no ar o primeiro SORTEIO DO BLOG!


Estou muito animada, tive a ideia do sorteio quando atingi 1000 seguidores no Instagram e quis fazer algo para comemorar!


Preparei este Kit com muito carinho, espero que vocês gostem!



Para participar é simples, basta curtir a fanpage do blog no facebook e compartilhar em modo público a foto do sorteio que estará lá na fanpage (igual á foto aqui acima).

Se quiser mais chances de ganhar, é só curtir a página no twitter, no instagram e seguir o blog com a conta Google aqui pelo box do sorteio, mas estes passos não são obrigatórios, só acumularão mais chances de você ser sorteado!

O sorteio vai só até dia 31/07 então não perde tempo e já clica aí em baixo para participar!


a Rafflecopter giveaway

As regrinhas são simples:

- é preciso morar em território brasileiro;
- o sorteado terá 03 dias para enviar o endereço para entrega após o primeiro contato, se não o fizer sortearei outra pessoa;

- assim que enviar o prêmio enviarei o código de rastreamento para o ganhador, não me responsabilizando se houver algum problema de extravio dos correios.

Bora participar gente!?

Beijos

terça-feira, 14 de julho de 2015

Resenha: A Casa Assombrada - John Boyne #MLI2015

Aqui estou eu, com a resenha do segundo livro lido na Maratona Literária de Inverno!


Estou muito feliz até agora por ter escolhido leituras que estou adorando para a maratona!

Mas, vamos ao que interessa, 

A Casa Assombrada!



Título Original: This House is Haunted

Título Nacional: A Casa Assombrada

Autor: John Boyne

Editora: Companhia Das Letras

Páginas: 296 páginas

Ano: 2015


Sinopse: Eliza Caine tem 21 anos e acaba de perder o pai. Totalmente sozinha e sem dinheiro suficiente para pagar o aluguel na cidade, ela se depara com o anúncio de um tal H. Bennet. Ele busca uma governanta para se dedicar aos cuidados e à educação das crianças de Gaudlin Hall, uma propriedade no condado de Norfolk – sem, no entanto, mencionar quantas são, quantos anos têm ou dar quaisquer outras explicações. Assim, ela larga o emprego de professora numa escola para meninas e ruma para o interior.
Chegando a Gaudlin Hall, Eliza se surpreende ao encontrar apenas Isabella, uma menina que parece inteligente demais para sua idade, e Eustace, seu adorável irmão de oito anos. Os pais das crianças não estão lá. Não se veem criados. Ela logo constata que não há nenhum outro adulto na propriedade, e a identidade de H. Bennet permanece um mistério.
A governanta recém-contratada busca informações com as pessoas do vilarejo, mas todos a evitam. Nesse meio tempo, fica intrigada com janelas que se fecham sem explicação, cortinas que se movem sozinhas e ventos desproporcionais soprando pela propriedade. E então coisas realmente assustadoras começam a acontecer.


Quem acompanha o blog sabe que sou uma grande fã de terror. Assisto a todos os filmes do gênero, mesmo os mais ruinzinhos que acabam fatalmente sendo mais engraçados do que assustadores. Dou pulinhos de alegria toda vez que algum livro de terror é lançado, então vocês podem imaginar a alegria que fiquei quando descobri A Casa Assombrada, com esta sinopse incrível e pra completar, um livro escrito por John Boyne, autor de “O menino do pijama listrado”, livro que eu adorei ler!

A sinopse já conta bastante sobre o enredo, e realmente não posso me aprofundar muito na trama para não perder a graça, então vou pincelar alguns acontecimentos dizendo a vocês minhas impressões, ok?


A história se passa no ano de 1867, e logo nas primeiras páginas Eliza Caine, nossa protagonista, se vê sozinha após o falecimento de seu pai, último parente vivo que lhe restava.

Sem saber o que fazer, Eliza deixa Londres, cidade onde vive, para tentar recomeçar sua vida em um lugar desconhecido, após aceitar o emprego de governanta que leu em um anúncio do jornal.

Logo que chega à propriedade de seus empregadores, Gaudlin Hall no condado de Norfolk, Eliza Caine percebe que existe alguma coisa errada com a família.

Quem a recepciona são as crianças, que além de estarem sozinhas naquela mansão, não se parecem em nada com as crianças “normais” que Eliza convivia sendo professora de uma escola.

Enquanto Isabella, a menina mais velha de 12 anos tem um comportamento sinistro de adulta, tanto em seu modo de falar quanto de se portar, Eustace, o caçula de 8 anos, parece um bichinho assustado e frágil, apesar de muito meigo.

Preciso mencionar aqui, que morro de medo de criancinhas em livros/filmes de terror, e neste caso não foi diferente!

 Isabella e Eustace são personagens perturbadores, que aparecem do nada nos cômodos da casa, estão sempre sussurrando e dizendo coisas que não fazem muito sentido ou seja você sabe que eles sabem que tem algo de muito errado na casa!

Uma das coisas que mais me atraiu durante a leitura foi o mistério que envolvia a família. 

Onde estavam os pais das crianças? Porque as deixariam sozinhas sob os cuidados de alguém que eles nem conheciam? E o pior, porque toda vez que Eliza Caine mencionava durante alguma conversa com moradores do condado que era a nova governanta das crianças, todos pareciam se apavorar e até fugir dela?

Eliza logo começará a entender, que as portas batendo sem nenhum vento, a sensação de que seus pés estão sendo puxados durante o sono, e acidentes domésticos que vão ocorrendo cada vez mais seguido com ela não são coincidências ou resultado de uma imaginação fértil. Alguém ou algo a quer fora daquela casa, e o mais importante, longe das crianças.
Meu gato Ozzy entrando no "clima" assustador do livro!

A história é narrada em primeira pessoa por Eliza, após um inicio um pouco difícil e morno, onde o autor foca mais em nos apresentar os personagens Eliza e seu Pai e nos ambientar na história, a leitura pega um ritmo incrível, em parte por ser bem escrita, mas também pelo fato de você querer descobrir os mistérios de Gaudlin Hall.

Eliza Caine é uma protagonista forte, decidida e curiosa, se mostra em muitos momentos ser uma garota “moderna” para alguém de 21 anos que vivia em uma época em que mulheres eram consideradas frágeis demais e sem inteligência suficiente para tomarem atitudes por si próprias.

A Casa Assombrada pode ser considerada sim, uma história um tanto clichê sobre fantasmas, mas os assuntos abordados vão muito além dos sustos.

Os personagens são muito bem construídos, os temas como luto, loucura e abuso infantil são inseridos na trama de uma forma que faz toda a história ficar mais completa.

O final é de arrepiar, fiquei desejando fortemente que esta história vire filme, seria incrível vê-la no cinema.

P.S: Vocês repararam que durante quase toda a resenha fiz questão de chamar a personagem principal pelo nome e sobrenome? Fiz isso por um único motivo, Isabella faz questão de sempre chamar a governanta de Eliza Caine, não somente Eliza, e isso, em certos momentos da história, é bem assustador!

Eu quase conseguia ouvir a voz da menina chamando “Eliza Caine! Eliza Caine!” enquanto lia, e isso foi incrível! Hehehe

Fica aqui a dica de um livro super bom para quem curte um mistério bem escrito correndo o risco de levar uns sustinhos durante a leitura.

Beijos