sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

RESENHA: Cartas de Amor aos Mortos - Ava Dellaira


Título Nacional: Cartas de Amor aos Mortos

Título Original: Love Letters to the Dead


Autora: Ava Dellaira


Editora: Seguinte


Número de páginas: 344


Ano: 2014













Sinopse: "Prestes a começar o ensino médio, Laurel decide mudar de escola para não ter que encarar as pessoas comentando sobre a morte de sua irmã mais velha, May. 
A rotina no novo colégio não está fácil, e, para completar, a professora de inglês passa uma tarefa nada usual: escrever uma carta para alguém que já morreu.
Laurel começa a escrever em seu caderno várias mensagens para Kurt Cobain, Janis Joplin, Amy Winehouse, Elizabeth Bishop… sem nunca entregá-las à professora.
Nessas cartas, ela analisa a história de cada uma dessas personalidades e tenta desvendar os mistérios que envolvem suas mortes. 
Ao mesmo tempo, conta sua própria vida, como as amizades no novo colégio e seu primeiro amor: um garoto misterioso chamado Sky.
Mas Laurel não pode escapar de seu passado.
Só quando ela escrever a verdade sobre o que se passou com ela e com a irmã é que poderá aceitar o que aconteceu e perdoar May e a si mesma. 
E só quando enxergar a irmã como realmente era - encantadora e incrível, mas imperfeita como qualquer um - é que poderá seguir em frente e descobrir seu próprio caminho".


Já faziam alguns meses que eu "paquerava" este livro, primeiro o título e a capa me chamaram a atenção, depois, quando li a sinopse, achei a premissa incrível e super diferente, mas acabava nunca colocando-o no "carrinho de compras".
Um dia desses, lendo o blog da Natália Assarito fiquei bem empolgada com a resenha dela sobre este livro e não teve mais jeito, tive que matar minha curiosidade e furar a fila de leituras com Cartas de Amor aos Mortos. 
Só posso dizer que, ainda bem que não levo minha fila muito a sério e não demorei mais tempo para ler este livro lindo!

Começamos a estória já sabendo que a irmã mais velha de Laurel, May, morreu tragicamente alguns meses atrás (mas demora bastante até desvendarmos como foi sua morte).

May era irmã, melhor amiga e o porto seguro de Laurel, acredito que muitas meninas vejam suas irmãs mais velhas esta forma com uma admiração quase de fã, se espelhando e querendo ser o mais parecida possível. A relação entre elas é muito bem escrita e comovente, o que me fez logo de cara sentir uma empatia muito grande pelas duas.

 Quando May morre, Laurel sente-se duplamente abandonada já que, sua mãe, por não saber lidar com a situação, decide ir morar em outro estado, deixando a menina aos cuidados do pai e da Tia Amy.
Com tantas mudanças em sua vida, Laurel decide ir estudar em um colégio diferente, onde acredita que ninguém saiba o que aconteceu com sua irmã e talvez assim, possa começar o ensino médio de uma maneira mais “normal” sem o olhar de pena ou de interrogação das pessoas a sua volta.

Logo na primeira aula de inglês, a professora pede que a turma escreva uma carta para alguém que já morreu. A tarefa é claro, torna-se bem difícil para Laurel, que decide então escrever a carta para Kurt Cobain, cantor de quem sua irmã era fã.

Laurel não entrega a carta, mas encontra nesta tarefa uma forma de desabafar sobre sua vida, e começa a escrever cartas a diversos ídolos já falecidos, como os músicos Jim Morrison, Janis Joplin, Amy Winehouse, a aviadora Amelia Earhart, entre outros.

A narrativa do livro é toda em primeira pessoa e de forma epistolar com as Cartas de Laurel para seus ídolos.

 As cartas que no início eram uma forma de Laurel conversar com alguém sobre seu dia a dia, vão aos poucos se tornando mais íntimas e profundas, ela começa a questionar sobre a vida, a morte, sobre os sentimentos que guarda só pra ela desde a morte de sua irmã, como o fato de sentir-se culpada, tanto pela morte de May quanto pela partida da mãe.

Minhas cartas preferidas eram as destinadas ao ator River Phoenix, além de serem as cartas onde achei que Laurel abria-se de forma mais visceral, o fato de eu ter sido quando nova muito fã dele também fez eu me sentir tocada quando Laurel questionava sobre os porquês de sua morte precoce.

Depois de algumas semanas isolada na escola, Laurel começa a querer agir como a irmã, que era uma menina audaciosa e carismática, começa a usar algumas de suas roupas e tenta assim criar uma personalidade mais parecida com a de May. 
Laurel faz amizade com duas colegas, Hannah e Natalie que logo apresentam Laurel também a um casal de amigos, Kristen e Tristan que são completamente apaixonados um pelo outro e muito carinhosos com Laurel também.
Os amigos de Laurel aliás, mesmo sendo personagens secundários na trama são extremamente cativantes e roubam a cena várias vezes com seus dramas pessoais e sua próprias batalhas também difíceis.


Como não poderia deixar de ser, o livro também tem um toque de romance com Sky, um garoto misterioso do colégio por quem Laurel se apaixona, mas o foco do livro é realmente o luto de Laurel e a forma que a menina encontra de lidar com isso, mas, seu relacionamento com Sky a ajuda a enfrentar o passado, e ele se mostra além de tudo um grande amigo para a menina.

As atitudes de Laurel são bastante inocentes chegando às vezes a ser infantis e inconsequentes, ela deixa-se levar facilmente pelo que os amigos querem que ela faça, tenta a todo o momento agrada-los sem muita voz própria.
Em todos os momentos de interação entre Laurel e seus amigos, seja durante uma festa, em conversas com Sky ou até mesmo no colégio, Laurel tenta agir como May agiria, o que torna tudo mais complicado para a menina que acaba perdendo-se entre sua personalidade e a personalidade da irmã.

Sabemos logo no inicio que Laurel estava com May quando ela morreu, e guardar isso para si deixa-a cada dia pior, e no final descobrimos que os motivos de Laurel esconder as reais circunstâncias da morte de May são muito mais profundos e traumatizantes para ela do que poderíamos imaginar.

É muito interessante acompanharmos o amadurecimento de Laurel, como a narrativa é feita somente sobre o ponto de vista dela, as transformações ficam muito reais para nós, desde os momentos de dor até quando ela deixa de ver a irmã como sua heroína perfeita, conseguindo enxergar que May também tinha falhas, defeitos e errava como todo ser humano, e só assim, aceitar sua morte e perder o sentimento de culpa que carregava por todo esse tempo.



Gostei muito do livro, mais do que imaginei que iria gostar a autora foi muito feliz em sua forma de abordar alguns assuntos polêmicos de uma forma bem desenvolvida e nada costumeira.

Recomendo a leitura pra quem gosta de um drama leve que fale sobre superação, aceitação e perdão, pra quem ama rock e pra quem gosta de ler algo diferente do comum, eu pelo menos nunca tinha lido nada que tivesse a premissa parecida com Cartas de Amor aos Mortos, há quem compare com As vantagens de ser invisível, mas, não vi tanta semelhança assim.



Alice



Comente com o Facebook:

12 comentários:

  1. Que história diferente mesmo hein? Parece um pouco triste mas é sempre bom lermos sobre superação. Vou anotar o título e querer ler ele com certeza.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vale a pena a leitura, não é um livro que nos deixe "na fossa" e sim uma estória comovente, que poderia muito bem ser real é que no final nos mostra a linda superação de uma adolescente que tão cedo precisou enfrentar este lado difícil da vida que é perder quem amamos.

      Excluir
  2. Também sempre achei essa capa bonita mas achava que era um livro muito adolescente e pela sua resenha vi que não é, vou procurar nas livrarias

    ResponderExcluir
  3. Parabéns sua resenha maravilhosa...já quero lê esse livro!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelo carinho Bibi!
      Leia logo mesmo, vale muito a pena!
      Beijos

      Excluir
  4. Olá Alice ...
    Adorei a resenha, e eu que não tinha interesse algum nesse livro já estou colocando na minha lista de compras =D
    Bjs
    Amanda
    http://blog-emcomum.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Amanda!
      Coloque mesmo lá sua lista, eu também não botava muita fé nele e foi uma surpresa maravilhosa!
      Beijos

      Excluir
  5. Adorei a resenha ! Eu adoro esse livro, e ele me tocou bastante. Fiquei com muita vontade de chorar em várias partes dele, e adorei a escrita da Ava. Ela trata de assuntos mais "sérios", mas achei muito gostoso de ler. Não sou a maior fã do mundo de As Vantagens de Ser Invisível, mas Cartas de Amor aos Mortos me conquistou completamente.
    Beijos,
    Ana.

    http://nasuaestanteblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Adorei a resenha ! Eu adoro esse livro, e ele me tocou bastante. Fiquei com muita vontade de chorar em várias partes dele, e adorei a escrita da Ava. Ela trata de assuntos mais "sérios", mas achei muito gostoso de ler. Não sou a maior fã do mundo de As Vantagens de Ser Invisível, mas Cartas de Amor aos Mortos me conquistou completamente.
    Beijos,
    Ana.

    http://nasuaestanteblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Adorei a resenha ! Eu adoro esse livro, e ele me tocou bastante. Fiquei com muita vontade de chorar em várias partes dele, e adorei a escrita da Ava. Ela trata de assuntos mais "sérios", mas achei muito gostoso de ler. Não sou a maior fã do mundo de As Vantagens de Ser Invisível, mas Cartas de Amor aos Mortos me conquistou completamente.
    Beijos,
    Ana.

    http://nasuaestanteblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Tô louca pra ler esse livro, já comprei ele faz um tempinho, mas sempre acabo passando algum na frente. Toda vez que leio uma resenha dele tenho vontade de largar tudo e começa-lo na hora, rsrs
    Quem sabe não começo ele assim que acabar o atual, né?

    www.fofocasliterarias.com

    ResponderExcluir