sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

RESENHA: AURA - Carlos Fuentes

Título: Aura

Autor: Carlos Fuentes

Editora: L&PM

Número de páginas: 75

Edição: 1ª edição pocket

Tradução: Olga Savary

Ano: 2012











Oi gente!

Hoje é sexta-feira 13, e eu, uma grande fã do universo assustador, li e já corri para resenhar para vocês uma estória arrepiante e muito boa!

Não se assustem, não é um livro de terror, mas o enredo se passa inteirinho em uma atmosfera sinistra e perturbadora.

Quando comecei a leitura de Aura, sabia que se tratava de uma estória meio fantasmagórica e cheia de suspense, mas foi muito além do que eu imaginava.

Não se deixe enganar pelas poucas páginas (75 páginas) que fazem o livro mais parecer um conto, Aura tem um clima que te envolve desde a primeira página, onde o real e o irreal se entrelaçam levando o leitor ao limite do que pensamos ser imaginação do personagem ou uma realidade assustadora.

Com uma narrativa diferente, em segunda pessoa, é uma leitura nada habitual pelo menos para mim e possui uma linguagem um pouco mais densa e complexa.

Felipe Montero um historiador, é atraído por uma oferta de trabalho que parece feita exatamente para ele, onde sua tarefa será organizar os manuscritos memorialísticos deixados pelo general Llorente.

Ao chegar ao endereço do anúncio, já nos deparamos com uma atmosfera assustadora, onde não há luz alguma, as paredes são úmidas, e Felipe escuta somente ao fundo de um corredor a voz de uma mulher o chamando para entrar no casarão guiando-se apenas pelo número de passos que deve dar até chegar a uma escada.

Neste momento do livro já pensei, ok, era agora que eu já dava meia volta e saía correndo!

Mas, atraído pelo dinheiro que o anúncio oferece, Felipe entra na casa até encontrar a Senhora Consuelo em um quarto escuro, mofado e cheio de ratos.
A idosa é a viúva do General Llorente e confirma a Felipe a tarefa que ele terá que desempenhar sem demora, pois, afirma que lhe resta pouco tempo de vida e que as memórias de seu falecido esposo precisam estar prontas e traduzidas antes de ela ir embora. 
A viúva também impõe uma condição importante para contratar Felipe, enquanto faz seu trabalho, ele precisa morar no casarão com ela.
Felipe começa a repensar se deve aceitar a proposta quando surge a jovem Aura, sobrinha de Consuelo que cuida da tia e mora junto com ela na casa.

Felipe sente-se encantado por Aura de imediato, e aceita a tarefa e as imposições da anciã de bom grado, pois, viver perto daquela linda moça valerá o sacrifício de ficar preso em uma casa bizarra e sem vida.

Aos poucos Felipe vai nutrindo sentimentos amorosos por Aura que parece retribuí-los fazendo-lhe visitas noturnas até seu quarto, e o rapaz então decide que Aura deve libertar-se de sua tia e ir embora com ele quando seu trabalho acabar, mas, aos poucos, Felipe descobrirá que o que une a bela moça à sua crépida tia vai muito além de cuidados ou laços familiares.

Aura dá pistas durante todo o livro de que existe algum motivo maior de ele estar ali e de ela não poder ir embora, mas, perdido em um labirinto em que sonhos se misturam com a realidade, Felipe só entenderá o que acontece a sua volta quando for tarde demais.

Aura é uma leitura rápida, porém, cheia de detalhes que precisam de atenção, li o livro em uma hora, mas, o li de madrugada, o que torna mais fácil a concentração na leitura.

Recomendo para quem é fã de suspense sobrenatural e de mistérios com finais surpreendentes!

Só espero não ter pesadelos com a Senhora Consuelo esta noite...hehehe.

;)

Boa sexta-feira 13 a todos!



Alice

Comente com o Facebook:

2 comentários:

  1. Muito assustador, o mistério é intrigante, o que pode levar o (a) leitor(a) a ler o livro ! Acho que vou fazer isso, porque a resenha é bem clara.

    ResponderExcluir
  2. Gostei parece bom. E sendo curto melhor ainda

    ResponderExcluir