sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Resenha: De Coração para Coração - Lurlene McDaniel

Título Nacional: De Coração para Coração

Título Original: Heart to Heart

Autora: Lurlene McDaniel

Editora: Novo Conceito

Edição: 1ª edição

Número de páginas: 207 páginas

Ano: 2013

Gênero: Ficção norte-americana/Drama






Sinopse: “ Elowyn e Kassey são grandes amigas, que dividem tudo.
Mas uma coisa Elowyn não contou para Kassey: ao tirar a carteira de motorista, ela marcou a opção “doadora de órgãos”.
Kassey descobre esse detalhe da vida da amiga da maneira mais trágica - quando o desejo de Elowyn está prestes a ser atendido.
Arabeth nunca teve a sorte de ter uma melhor amiga.
Com o coração doente, ela leva uma vida protegida de tudo e de todos.
Até que, aos 16 anos, recebe o telefonema que tanto esperava – mas inicialmente ela e sua mãe não sabem quem devem agradecer.
Quando os mundos dessas três meninas e de suas famílias se cruzam, suas vidas se transformam de maneira nunca imaginada.
Kassey, especialmente, encara os fatos como uma forma de manter viva a memória de sua querida amiga.
Ela passa a compartilhar da nova vida de Arabeth, ao mesmo tempo em que ajuda a aliviar o sofrimento da família de Elowyn e a compreender a sua própria dor.”


Elowyn e Kassey se conheceram quando ainda eram crianças e a partir de então criaram um laço de amizade muito forte, aquela amiga-irmã que temos na adolescência, com quem você estuda junto, passa as férias junto, divide todas as suas dúvidas, inseguranças e alegrias, e tem certeza que será uma amizade para o resto da vida,sabe? 
De cara já me identifiquei com a amizade delas por ter amigas assim e saber o quanto são importantes na minha vida, então a partir daí, o livro já me cativou.

Depois de uma briga com o namorado, Elowyn sofre um acidente de carro que a deixa em estado vegetativo, e é a partir daí que começa o verdadeiro drama da estória.

Ao mesmo tempo em que sofremos junto com os pais de Elowyn que precisam lidar com o desejo da filha de ser doadora de órgãos e Kassey que perde sua melhor amiga abruptamente, vamos conhecendo Arabeth, uma menina que nunca teve uma vida normal devido a sua doença cardíaca, e que a partir da doação do coração de Elowyn, passa a visualizar a chance de ter um recomeço e vivenciar tudo que até então não passava de sonhos para ela.

Achei muito interessante o fato de a Autora além de abordar um assunto pouco visto em romances que é a doação de órgãos, nos contar também um pouco sobre “memória celular”, onde o receptor do órgão doado pode passar a ter algumas características do doador, como gostos parecidos, formas diferentes de falar, de se comportar e até mesmo ter algumas lembranças da vida do doador.  

A estória é contada em primeira pessoa e sob dois pontos de vista, o de Kassey e o de Arabeth, e é dividida em três partes, o que me deu a impressão de ter tornado a leitura mais leve e fluida.

O enredo é emocionante e sensível, e além de tratar de um assunto tão delicado como a doação de órgãos, nos mostra um pouco dos dois lados, a dor e insegurança da família do doador, e a felicidade e esperança da família de quem recebe o órgão.

De Coração para Coração foi uma leitura cheia de sentimentos complexos para mim, mas foi uma experiência de leitura muito suave, tanto que “devorei” o livro em apenas um dia.


Recomendo para quem gosta de drama ou de leituras que abordem o estilo sick-lit com uma pitada de romance.

Alice

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Jojo Moyes anuncia continuação do livro "Como Eu era Antes de Você"!

Boa tarde gente!

Jojo Moyes, Autora do livro Como eu Era antes de Você, um livro maravilhoso, dos mais tocantes que já li na vida, anunciou hoje que ele terá uma continuação, e que sairá ainda este ano!

Para mim que sou fã da obra, e já estava empolgada com o fato de que Como Eu era antes de Você vai virar filme em 2016, fiquei mais animada ainda agora em saber que finalmente descobriremos o que aconteceu com Lou depois do final do primeiro livro. After You tem previsão de lançamento para o dia 29 de setembro de 2015, mas a Autora ainda está escrevendo o romance, então, é só torcer e aguardar uma possível data de lançamento no Brasil.

Para quem não leu e nem conhece a estória do primeiro livro, aí vai a sinopse:

"Aos 26 anos, Louisa Clark não tem muitas ambições. 
Ela mora com os pais, a irmã mãe solteira, o sobrinho pequeno e um avô que precisa de cuidados constantes desde que sofreu um derrame. 
Trabalha como garçonete num café, um emprego que não paga muito, mas ajuda nas despesas, e namora Patrick, um triatleta que não parece interessado nela. 
Não que ela se importe.
Quando o café fecha as portas, Lou é obrigada a procurar outro emprego. 
Sem muitas qualificações, consegue trabalho como cuidadora de um tetraplégico. 
Will Traynor, de 35 anos, é inteligente, rico e mal-humorado. 
Preso a uma cadeira de rodas depois de um acidente de moto, o antes ativo e esportivo Will desconta toda a sua amargura em quem estiver por perto. 
Tudo parece pequeno e sem graça para ele, que sabe exatamente como dar um fim a esse sentimento. 
 O que Will não sabe é que Lou está prestes a trazer cor a sua vida.
 E nenhum dos dois desconfia de que irá mudar para sempre a história um do outro."


O filme que se tudo der certo será lançado ano que vem, já tem os Atores que farão Lou e Will escolhidos.



Lou será interpretada pela atriz Emilia Clarke, bem conhecida atualmente por fazer parte do elenco de  “Game of Thrones” e Will, será interpretado pelo ator Sam Clafin (lembram do lindão Finnick Odair de Jogos Vorazes?) pois é ele!

A foto dos dois para quem não está lembrando é esta aí ao lado.


Estou muito animada com a notícia!

Vocês também amam Como Eu era antes de Você?
Se ainda não leram, corram para ler que tenho certeza absoluta que você não vai se arrepender!

Alice


segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Cinquenta tons de Cinza: Filme x Livro

Finalmente a tão aguardada adaptação para o cinema do livro Cinquenta tons de cinza chegou! 

Assisti ao filme já faz uma semana, porém, não tinha decidido ainda realmente se tinha gostado ou não, por isso a demora em vir contar para vocês.

Não li nenhuma crítica ou opinião até agora em blogs ou afins para não influenciar no que senti, e assim, poder contar exatamente isso aqui pra vocês, já que não sou uma crítica de cinema ou algo parecido, então tudo que posso dar é minha opinião pessoal. 
Vamos lá?

Bem, de cara já digo que sim, gostei do filme, mas...não, não chega nem perto do tanto que gosto do livro. Vou explicar melhor, já acrescentando aqui que pra quem não leu o livro e/ou não viu o filme, obviamente terá spoilers no que vou dizer.

Adorei o fato de que no filme tudo ficou mais dinâmico, uma das coisas que me incomodavam no livro eram os monólogos intermináveis de Anastasia, o que pela visão da câmera não existe, todos os sentimentos de dúvida, paixão, frustração da Ana, são passados apenas com o olhar e com o corpo, e isso foi muito bom.
Aliás, achei que Dakota Johnson “incorporou” muito bem a Ana, uma Ana até melhorada eu diria, pois no filme ela é muito mais divertida, tem umas tiradas bem cômicas e é bemmm menos tonta/bobona que no livro.

Quanto ao Christian Grey, não tem muito jeito, Jamie Dornan realmente não é nem um pouco como eu imaginava o Grey fisicamente e até nas atitudes, no livro ele é muito mais stalker dela, muito mais dominador e obsecado, mas, também não foi uma atuação sofrível, foi legal, o ator mostrou bem a mudança do Christian no desenrolar da estória, onde no início se mostrava um cara tão seguro de si que chegava a beirar a arrogância, e no final, todas as mudanças que aconteceram em sua vida com a chegada de Ana deixaram-no completamente confuso, e o ator conseguiu nos passar esta confusão muito bem. 
O ponto alto do ator como Christian é que ele tem uma voz muito sexy, então, por favor, nada de assistirem dublado!

O ponto mais fraco do filme na minha opinião, é o fato de eu ter achado o roteiro mal feito, cheio de cenas soltas que pareciam corridas demais ou totalmente aleatórias, cortaram momentos importantes da estória e outros passaram muito corrido (como a visita que Ana faz a sua Mãe). Aliás, os personagens secundários foram muito pouco explorados, Kate, a colega de apartamento de Ana, mal aparece sendo que a interação das duas no livro é muito legal e essencial para mostrar o quanto são unidas e amigas, e os outros personagens então, foram praticamente figurantes no filme, achei isso muito chato pois todos são muito bem construídos no livro.

Os pontos fortes do filme para mim foram a trilha sonora maravilhosa, onde cada música se encaixa perfeitamente no que está acontecendo no momento, e a estética visual, a fotografia do filme é linda e a ambientação dos cenários como o apartamento do Christian e o famoso “quarto vermelho da dor” são de tirar o fôlego de tão perfeitas.

Quanto as tão comentadas e polêmicas cenas de sexo, achei-as bem feitas e de bom gosto, nada muito apelativo e muito menos vulgares.

Para mim, Cinquenta tons de Cinza é uma estória de amor, picante, controversa, mas ainda assim de amor, e senti falta de ir construindo o sentimento junto dos personagens como aconteceu no livro, achei que ficou tudo muito superficial.

O fato de o filme ser mais leve e com alguns momentos divertidos foi interessante e o final também me agradou, ver Ana ganhando força enquanto Christian vai perdendo-a foi bem interessante.


 Não me arrependo de ter visto o filme, aliás, gostei dele e estou ansiosa pelas continuações, só não crie expectativas de que será muito fiel ao livro, ou que te envolverá da mesma forma, porque comigo ao menos, isso não aconteceu.

Se você já assistiu, me conta o que achou? Vou adorar saber se suas impressões foram parecidas com as minhas ou totalmente opostas!

Alice

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

RESENHA: Bela Distração - Jamie McGuire

Titulo Nacional: Bela Distração

Título Original: Beautiful Oblivion 


Autora: Jamie McGuire


Editora: Verus


Edição: 1ª edição


Número de páginas: 305 páginas


Ano: 2014


Coleção: Irmãos Maddox - Livro 1 - Spin-off da Série Belo Desastre





Sinopse: "Cami Camlin é uma garota intensa e independente, dona do próprio nariz desde a época do ensino médio. Agora, cursando a faculdade e trabalhando como bartender no The Red Door, Cami não tem tempo para nada, até que uma viagem para visitar seu namorado é cancelada e, pela primeira vez em quase um ano, ela tem um fim de semana de folga. 
Trenton Maddox era o rei da Universidade Eastern. Os caras queriam ser como ele, as mulheres queriam domá-lo. Mas, depois de um trágico acidente virar sua vida de cabeça para baixo, ele deixa o campus para lidar com a culpa esmagadora. 
Um ano e meio depois, Trenton está morando com o pai e trabalhando em um estúdio de tatuagem para ajudar a pagar as contas. Justamente quando ele pensa que sua vida está voltando ao normal, nota Cami sozinha em uma mesa no Red Door. 
Como a irmã mais velha de três caras de pavio curto, Cami acredita que não terá problemas para manter a amizade com Trenton no nível estritamente platônico. Mas, quando um Maddox se apaixona, é para sempre - mesmo que Cami possa ser a razão para que a já fragilizada família Maddox desmorone de vez. 
Em Bela Distração, o leitor vai mergulhar novamente nas emoções do universo de Belo Desastre, além de vislumbrar mais alguns momentos do casal mais amado da literatura new adult, Travis e Abby".


Gente, preciso começar dizendo que sou fã da Série Belo Desastre e assim que soube que Jamie McGuire lançaria outros livros no mesmo cenário, mas, nos contado a  estória de outro irmão Maddox dei pulinhos de felicidade!

Claro que eu logo pensei, “nossa, nenhum outro irmão pode ser tão incrível quanto Travis”, mas galerinha, eu estava muito enganada!

A estória se passa na mesma linha de tempo de Belo Desastre, ou seja, revemos um pouco do caso de amor de Travis e Abby, o que obviamente me deu vontade de reler o livro deles e “pescar” a Cami e o Trenton dentro daquela estória, poder rever os personagens com outros olhos agora que já sei bem mais sobre eles, entendem?

Cami é uma garota independente, faz faculdade na Eastern e trabalha como bartender no The Red Door, local que muitos alunos e ex-alunos da faculdade frequentam (inclusive os irmãos Maddox).

Já começamos o livro sabendo que Trenton largou a faculdade depois de um acidente que sofreu e que o deixou um pouco traumatizado, pois perdeu uma amiga e sente-se um pouco culpado mesmo não sendo ele que estivesse dirigindo.
Em uma noite que o namorado de Cami fura um compromisso importante com ela, Trenton se aproxima e começa a conversar com a garota que sabendo sobre a má reputação dos Maddox em relação as mulheres, não lhe dá muita bola.

Mas sabemos que os irmãos Maddox são irresistíveis e não desistem fácil do que querem, e Cami logo se vê envolvida pelo charme de Trenton, mesmo que insista em dizer que é apenas amizade.

É inevitável durante a leitura fazermos comparações entre Travis e Trenton, e mesmo que os dois tenham em comum o temperamento um pouco explosivo, Trenton é bem mais centrado e focado que Travis, achei o amor dele por Cami mais tranquilo do que a paixão maluca de Travis e Abbi.

“Eu te amo desde que a gente era criança. Na primeira vez que te vi no parquinho, eu entendi o que era beleza. A primeira vez que você me ignorou foi a primeira vez que alguém partiu meu coração(...) Ninguém nunca desejou uma pessoa como eu desejo você”.

Comparando as “mocinhas” da estória então a diferença fica mais gritante ainda, Cami é muito pé no chão, sabe desde o início que está se metendo em uma grande enrascada ao se deixar envolver pelo charme de Trenton e deixa isso claro pra ele, que tem algo sobre ela que quando ele descobrir, a odiará para sempre.

Aliás, quanto a este segredo, que só nos é revelado na última linha do livro (não vale espiar gente!) preciso dizer que nem suspeitava o que era e quando li fiquei de queixo caído, mais uma salva de palmas para Jamie McGuire por além de fazer personagens maravilhosos ainda conseguir manter um suspense destes até o final.

Trenton e Cami são protagonistas carismáticos e apaixonantes, mas os personagens secundários também são muito bons, a pequenina Olive, uma garotinha de cinco anos que é vizinha dos Maddox e que Trenton toma conta às vezes é encantadora e rouba a cena toda vez que aparece durante o livro.

Recomendo fortemente a leitura de Bela Distração pra quem curte um romance, Jamie é especialista em contar estórias de amor nada clichês e muito envolventes. 

Estou aguardando ansiosamente os livros dos outros irmãos Maddox, sei que o terceiro livro “Beautiful Sacrifice” que conta a estória de Taylor Maddox tem data de lançamento prevista para Maio deste ano! 

Nós fãs dos Maddox agradecemos!

;)



Alice

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

RESENHA: AURA - Carlos Fuentes

Título: Aura

Autor: Carlos Fuentes

Editora: L&PM

Número de páginas: 75

Edição: 1ª edição pocket

Tradução: Olga Savary

Ano: 2012











Oi gente!

Hoje é sexta-feira 13, e eu, uma grande fã do universo assustador, li e já corri para resenhar para vocês uma estória arrepiante e muito boa!

Não se assustem, não é um livro de terror, mas o enredo se passa inteirinho em uma atmosfera sinistra e perturbadora.

Quando comecei a leitura de Aura, sabia que se tratava de uma estória meio fantasmagórica e cheia de suspense, mas foi muito além do que eu imaginava.

Não se deixe enganar pelas poucas páginas (75 páginas) que fazem o livro mais parecer um conto, Aura tem um clima que te envolve desde a primeira página, onde o real e o irreal se entrelaçam levando o leitor ao limite do que pensamos ser imaginação do personagem ou uma realidade assustadora.

Com uma narrativa diferente, em segunda pessoa, é uma leitura nada habitual pelo menos para mim e possui uma linguagem um pouco mais densa e complexa.

Felipe Montero um historiador, é atraído por uma oferta de trabalho que parece feita exatamente para ele, onde sua tarefa será organizar os manuscritos memorialísticos deixados pelo general Llorente.

Ao chegar ao endereço do anúncio, já nos deparamos com uma atmosfera assustadora, onde não há luz alguma, as paredes são úmidas, e Felipe escuta somente ao fundo de um corredor a voz de uma mulher o chamando para entrar no casarão guiando-se apenas pelo número de passos que deve dar até chegar a uma escada.

Neste momento do livro já pensei, ok, era agora que eu já dava meia volta e saía correndo!

Mas, atraído pelo dinheiro que o anúncio oferece, Felipe entra na casa até encontrar a Senhora Consuelo em um quarto escuro, mofado e cheio de ratos.
A idosa é a viúva do General Llorente e confirma a Felipe a tarefa que ele terá que desempenhar sem demora, pois, afirma que lhe resta pouco tempo de vida e que as memórias de seu falecido esposo precisam estar prontas e traduzidas antes de ela ir embora. 
A viúva também impõe uma condição importante para contratar Felipe, enquanto faz seu trabalho, ele precisa morar no casarão com ela.
Felipe começa a repensar se deve aceitar a proposta quando surge a jovem Aura, sobrinha de Consuelo que cuida da tia e mora junto com ela na casa.

Felipe sente-se encantado por Aura de imediato, e aceita a tarefa e as imposições da anciã de bom grado, pois, viver perto daquela linda moça valerá o sacrifício de ficar preso em uma casa bizarra e sem vida.

Aos poucos Felipe vai nutrindo sentimentos amorosos por Aura que parece retribuí-los fazendo-lhe visitas noturnas até seu quarto, e o rapaz então decide que Aura deve libertar-se de sua tia e ir embora com ele quando seu trabalho acabar, mas, aos poucos, Felipe descobrirá que o que une a bela moça à sua crépida tia vai muito além de cuidados ou laços familiares.

Aura dá pistas durante todo o livro de que existe algum motivo maior de ele estar ali e de ela não poder ir embora, mas, perdido em um labirinto em que sonhos se misturam com a realidade, Felipe só entenderá o que acontece a sua volta quando for tarde demais.

Aura é uma leitura rápida, porém, cheia de detalhes que precisam de atenção, li o livro em uma hora, mas, o li de madrugada, o que torna mais fácil a concentração na leitura.

Recomendo para quem é fã de suspense sobrenatural e de mistérios com finais surpreendentes!

Só espero não ter pesadelos com a Senhora Consuelo esta noite...hehehe.

;)

Boa sexta-feira 13 a todos!



Alice

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

Livro da Coleção Vagalume "O Escaravelho do Diabo" vai virar filme!

Se você era criança nos anos 80/90 provavelmente leu na escola algum livro da Coleção Vagalume.

Eu comecei a criar o hábito da leitura ainda na minha infância nos anos 90, toda semana pegava algum livro na biblioteca da escola e a maioria deles eram da Coleção Vagalume.

Sabendo isso, vocês devem imaginar o apego sentimental que tenho pela coleção, e minha animação em saber que, O Escaravelho do Diabo, um dos meus livros favoritos da vagalume, vai virar filme!

O Escaravelho do Diabo, um livro de suspense infanto-juvenil que já chegou à 27ª edição, nos conta uma história que gira em torno de uma série de assassinatos onde todas as vítimas são ruivas e antes de morrerem recebem pelo correio um pacote com um escaravelho (besouro preto) dentro.

Uma das vítimas era irmão de Alberto, um dos personagens principais que junto do Inspetor Pimentel, começam uma investigação, procurando por pistas e motivos do Serial Killer matar  apenas pessoas com cabelo cor de fogo.

Na adaptação para o cinema, algumas situações foram modificadas como por exemplo, no livro, o protagonista Alberto, é um estudante de medicina de 20 e poucos anos, já na versão cinematográfica, Alberto será um menino de 11 anos, vivido pelo ator Thiago Rosseti. 
A presença de Pimentel, policial que auxilia Alberto na investigação dos assassinatos continuará de extrema importância no filme, e será interpretado pelo ator Marcos Caruso.

O longa será lançado no segundo semestre de 2015, com distribuição da Paris Filmes.

Embora seja voltado para um público bem mais jovem do que eu, certamente irei assisti-lo muito animada!
E você, já leu algum livro da Coleção Vagalume? Se sim, me conta aqui qual era seu preferido!



Alice

domingo, 8 de fevereiro de 2015

Remake de Poltergeist estréia em julho de 2015 e já tem trailer legendado!

Oi Gente!!

Para quem não me conhece ainda, aviso que sou muito fã de filmes e livros de horror!
Por isso, estou muito empolgada com o remake de Poltergeist que sai este ano.

Para quem não conhece, o original que saiu em 1982 e foi produzido por ninguém menos que Steven Spielberg, conta a história de um casal que se muda com seus 3 filhos para uma nova casa (que obviamente esconde um segredo bem cabuloso).
A filha mais nova Carol Anne, começa a ver e sentir coisas sobrenaturais logo de cara mas não é levada muito a sério até uma noite de tempestade onde a menina desaparece dentro do armário do quarto!!
A família em um momento, consegue escutar Carol Anne pedindo ajuda em um canal da tv que não sintoniza nada (aqueles que ficam com chiado e a tela preto e branco) medo.

 A família procura então a ajuda de parapsicólogos para tentar trazer a menina do além.

Não sei exatamente o que será diferente no remake fora o que pude ver no trailer, o nome da menina mudaram para Maddie e a parapsicóloga que era uma velhinha querida e ao mesmo tempo um pouco assustadora, será substituída no novo enredo por um padre especialista em casos misteriosos. 



A menina que vai fazer a personagem que antes era Carol Anne (foto ao lado) mesmo sendo morena tem o mesmo biotipo da atriz Heather O'Rourke que interpretou Carol Anne na primeira versão do filme.
Aliás, para deixar o clima mais assustador, saibam que Heather morreu em 1988 com apenas 12 anos de idade durante as filmagens de Poltergeist 3!





Prontos para ver o trailer do remake?




Eu adorei e estou animada para a estréia que será dia 23/07, acho que os efeitos agora muito melhores, deixarão o filme mais assustador ainda!!


Alice

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

RESENHA: Cartas de Amor aos Mortos - Ava Dellaira


Título Nacional: Cartas de Amor aos Mortos

Título Original: Love Letters to the Dead


Autora: Ava Dellaira


Editora: Seguinte


Número de páginas: 344


Ano: 2014













Sinopse: "Prestes a começar o ensino médio, Laurel decide mudar de escola para não ter que encarar as pessoas comentando sobre a morte de sua irmã mais velha, May. 
A rotina no novo colégio não está fácil, e, para completar, a professora de inglês passa uma tarefa nada usual: escrever uma carta para alguém que já morreu.
Laurel começa a escrever em seu caderno várias mensagens para Kurt Cobain, Janis Joplin, Amy Winehouse, Elizabeth Bishop… sem nunca entregá-las à professora.
Nessas cartas, ela analisa a história de cada uma dessas personalidades e tenta desvendar os mistérios que envolvem suas mortes. 
Ao mesmo tempo, conta sua própria vida, como as amizades no novo colégio e seu primeiro amor: um garoto misterioso chamado Sky.
Mas Laurel não pode escapar de seu passado.
Só quando ela escrever a verdade sobre o que se passou com ela e com a irmã é que poderá aceitar o que aconteceu e perdoar May e a si mesma. 
E só quando enxergar a irmã como realmente era - encantadora e incrível, mas imperfeita como qualquer um - é que poderá seguir em frente e descobrir seu próprio caminho".


Já faziam alguns meses que eu "paquerava" este livro, primeiro o título e a capa me chamaram a atenção, depois, quando li a sinopse, achei a premissa incrível e super diferente, mas acabava nunca colocando-o no "carrinho de compras".
Um dia desses, lendo o blog da Natália Assarito fiquei bem empolgada com a resenha dela sobre este livro e não teve mais jeito, tive que matar minha curiosidade e furar a fila de leituras com Cartas de Amor aos Mortos. 
Só posso dizer que, ainda bem que não levo minha fila muito a sério e não demorei mais tempo para ler este livro lindo!

Começamos a estória já sabendo que a irmã mais velha de Laurel, May, morreu tragicamente alguns meses atrás (mas demora bastante até desvendarmos como foi sua morte).

May era irmã, melhor amiga e o porto seguro de Laurel, acredito que muitas meninas vejam suas irmãs mais velhas esta forma com uma admiração quase de fã, se espelhando e querendo ser o mais parecida possível. A relação entre elas é muito bem escrita e comovente, o que me fez logo de cara sentir uma empatia muito grande pelas duas.

 Quando May morre, Laurel sente-se duplamente abandonada já que, sua mãe, por não saber lidar com a situação, decide ir morar em outro estado, deixando a menina aos cuidados do pai e da Tia Amy.
Com tantas mudanças em sua vida, Laurel decide ir estudar em um colégio diferente, onde acredita que ninguém saiba o que aconteceu com sua irmã e talvez assim, possa começar o ensino médio de uma maneira mais “normal” sem o olhar de pena ou de interrogação das pessoas a sua volta.

Logo na primeira aula de inglês, a professora pede que a turma escreva uma carta para alguém que já morreu. A tarefa é claro, torna-se bem difícil para Laurel, que decide então escrever a carta para Kurt Cobain, cantor de quem sua irmã era fã.

Laurel não entrega a carta, mas encontra nesta tarefa uma forma de desabafar sobre sua vida, e começa a escrever cartas a diversos ídolos já falecidos, como os músicos Jim Morrison, Janis Joplin, Amy Winehouse, a aviadora Amelia Earhart, entre outros.

A narrativa do livro é toda em primeira pessoa e de forma epistolar com as Cartas de Laurel para seus ídolos.

 As cartas que no início eram uma forma de Laurel conversar com alguém sobre seu dia a dia, vão aos poucos se tornando mais íntimas e profundas, ela começa a questionar sobre a vida, a morte, sobre os sentimentos que guarda só pra ela desde a morte de sua irmã, como o fato de sentir-se culpada, tanto pela morte de May quanto pela partida da mãe.

Minhas cartas preferidas eram as destinadas ao ator River Phoenix, além de serem as cartas onde achei que Laurel abria-se de forma mais visceral, o fato de eu ter sido quando nova muito fã dele também fez eu me sentir tocada quando Laurel questionava sobre os porquês de sua morte precoce.

Depois de algumas semanas isolada na escola, Laurel começa a querer agir como a irmã, que era uma menina audaciosa e carismática, começa a usar algumas de suas roupas e tenta assim criar uma personalidade mais parecida com a de May. 
Laurel faz amizade com duas colegas, Hannah e Natalie que logo apresentam Laurel também a um casal de amigos, Kristen e Tristan que são completamente apaixonados um pelo outro e muito carinhosos com Laurel também.
Os amigos de Laurel aliás, mesmo sendo personagens secundários na trama são extremamente cativantes e roubam a cena várias vezes com seus dramas pessoais e sua próprias batalhas também difíceis.


Como não poderia deixar de ser, o livro também tem um toque de romance com Sky, um garoto misterioso do colégio por quem Laurel se apaixona, mas o foco do livro é realmente o luto de Laurel e a forma que a menina encontra de lidar com isso, mas, seu relacionamento com Sky a ajuda a enfrentar o passado, e ele se mostra além de tudo um grande amigo para a menina.

As atitudes de Laurel são bastante inocentes chegando às vezes a ser infantis e inconsequentes, ela deixa-se levar facilmente pelo que os amigos querem que ela faça, tenta a todo o momento agrada-los sem muita voz própria.
Em todos os momentos de interação entre Laurel e seus amigos, seja durante uma festa, em conversas com Sky ou até mesmo no colégio, Laurel tenta agir como May agiria, o que torna tudo mais complicado para a menina que acaba perdendo-se entre sua personalidade e a personalidade da irmã.

Sabemos logo no inicio que Laurel estava com May quando ela morreu, e guardar isso para si deixa-a cada dia pior, e no final descobrimos que os motivos de Laurel esconder as reais circunstâncias da morte de May são muito mais profundos e traumatizantes para ela do que poderíamos imaginar.

É muito interessante acompanharmos o amadurecimento de Laurel, como a narrativa é feita somente sobre o ponto de vista dela, as transformações ficam muito reais para nós, desde os momentos de dor até quando ela deixa de ver a irmã como sua heroína perfeita, conseguindo enxergar que May também tinha falhas, defeitos e errava como todo ser humano, e só assim, aceitar sua morte e perder o sentimento de culpa que carregava por todo esse tempo.



Gostei muito do livro, mais do que imaginei que iria gostar a autora foi muito feliz em sua forma de abordar alguns assuntos polêmicos de uma forma bem desenvolvida e nada costumeira.

Recomendo a leitura pra quem gosta de um drama leve que fale sobre superação, aceitação e perdão, pra quem ama rock e pra quem gosta de ler algo diferente do comum, eu pelo menos nunca tinha lido nada que tivesse a premissa parecida com Cartas de Amor aos Mortos, há quem compare com As vantagens de ser invisível, mas, não vi tanta semelhança assim.



Alice



quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

RESENHA: Amor em Jogo - Simone Elkeles


Título Nacional: Amor em Jogo

Título Original: Wild Cards

Autora: Simone Elkeles

Editora: Globo Livros

Número de páginas:353

Edição: 1ª edição

Ano: 2014

Coleção: Saga Wild Cards - volume 1








Sinopse: "Ashtyn Parker já está acostumada a ser abandonada, e aprendeu a não se deixar envolver demais em nenhum relacionamento. 
Quando sua irmã mais velha volta para casa, depois de dez anos, com um enteado a tiracolo, ela não quer saber de nenhum dos dois.
 O que Ashtyn não esperava é que o tal garoto mal-encarado e sem nenhum limite seria também... Irresistível.
 Depois de ser expulso do colégio interno em que estudava, Derek Fitzpatrick não teve outra escolha senão ir morar com a esposa de vinte e poucos anos de seu pai, que está viajando pela Marinha. 
Além de ter que aturar a madrasta, ele recebe a notícia de será obrigado a se mudar da Califórnia para sua cidade natal, Illinois.
 A vida não tinha mesmo como ficar pior... Ashtyn se esconde atrás de uma fantasia da vida perfeita: boa aluna, a única menina – e capitã! – do time de futebol americano da escola e namorada do quarterback promissor. Tudo parecia um conto de fadas. 
Ainda assim, ela se sente deslocada, e tem um plano para deixar tudo pra trás e correr em busca da bolsa de estudos em alguma faculdade bem longe de sua vida atual. 
Tudo o que Derek menos quer é participar de mais um drama familiar – já bastam os seus. 
Agora, ele se vê preso a uma casa estranha, com pessoas que não conhece e em uma cidade bem diferente do que está acostumado.
 O que ele não esperava era que aquela garota briguenta e fã de junk food seria capaz de mexer tanto com seus sentimentos. 
Ainda mais ele, tão acostumado a descartar meninas por aí. Para azar – ou sorte!? – de Ashtyn e Derek, o destino ainda guarda mais uma reviravolta na manga.
 Mesmo com hábitos, ideias e sonhos completamente opostos, um desejo incontrolável surge entre os dois e, juntos, eles enfrentarão o desafio de vencer os preconceitos e os tabus da cidade em que vivem, além de seus próprios medos, para se entregarem completamente a uma paixão avassaladora."



A trama do livro acontece em torno de Ashtyn, uma garota que não é nada convencional, afinal, joga em um time de futebol americano onde é a única garota e é muito respeitada por seus colegas de equipe.

A paixão de Ashtyn pelo esporte é seu foco a muitos anos, desde que sua Mãe abandonou sua família, deixando-a para trás pequena, apenas com o Pai e a irmã mais velha que logo sai de casa também.
Sem muita atenção de um Pai bastante ausente, Ashtyn aprendeu desde cedo a confiar somente nela mesma e vê em seus colegas de equipe uma família em quem pode se apoiar inclusive seu namorado Landon, quarterback do time.

As coisas começam a mudar na vida de Ashtyn com o retorno repentino de sua irmã para casa, trazendo junto seu sobrinho Julian de 4 anos e Derek, filho de seu novo marido.
Derek é incrivelmente atraente e misterioso e apesar de negar, Ashtyn sente seu mundo balançar toda vez que ele está por perto.

Ao ser expulso da escola onde estudava Derek não teve escolha ao ter que ir morar com sua madrasta, sua mãe morreu a alguns anos de câncer e seu pai está fora, a serviço pela Marinha.

O convívio entre Ashtyn e Derek é complicado no inicio, pois eles são muito diferentes, vivem se estranhando mas não conseguem negar a atração mútua que sentem um pelo outro. 
Decidem então que é melhor se evitarem ao máximo, e o plano da certo até o dia em que Ashtyn é nomeada capitã de seu time de futebol, o que seria sua maior alegria se não tivesse despertado a inveja de Landon, seu namorado que a partir de então mostra que não a amava como ela sempre imaginou.

Sem o apoio do namorado que a abandona em um momento tão importante, Ashtyn começa a se aproximar cada vez mais de Derek até que não consigam mais cumprir o trato de manterem-se afastados um da vida do outro.
 Mas o que pode acontecer quando um garoto que odeia compromissos se envolve com uma garota que tudo que mais deseja na vida é sentir-se segura, amada e protegida para sempre? Derek tem certeza que não é o cara do “para sempre” de Ashtyn, nunca o conseguiria ser, mas como deixá-la escapar?

Amor em jogo é basicamente um romance adolescente, e embora aborde alguns assuntos como preconceito, abandono e perdas, é de uma forma bem leve para não dizer superficial, não me senti extremamente “tocada” com os dramas dos personagens.

A narrativa é em primeira pessoa e é intercalada entre Ashtyn e Derek, cada capítulo conhecemos a visão de cada um deles sobre os acontecimentos.

O enredo é interessante, mostra dos jovens com problemas em seus passados que devem ser superados e que com a ajuda um do outro podem ter a chance de recomeçar, mas não senti uma conexão muito forte com o romance deles e isso não ajudou a me conectar com a estória.
No entanto, os personagens são cativantes inclusive os coadjuvantes, desde o princípio conseguimos pegar a essência de suas personalidades. Confesso que quem me conquistou mais não foi o casal principal, e sim a avó de Derek, Sra.Worthington, que apesar de a princípio ser uma esnobe, é muito divertida e cativante no final do livro.

Aliás, o livro parece só “pegar no tranco” mesmo em sua parte final, nas últimas 100 páginas que é quando a leitura fica realmente fluida e gostosa, até um pouco corrida demais, eu diria.

É uma leitura boa para quando você está procurando um “livro distração”, mas, nada muito além disso. Se você gosta de romance adolescente com uma pitada picante mas sem muita carga dramática é uma leitura que você irá adorar.



Alice



terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

RESENHA: Um Caso Perdido - Colleen Hoover


Título Nacional: Um Caso Perdido

Título Original: Hopeless


Autora: Colleen Hoover


Editora: Galera Record


Número de páginas: 383


Ano: 2014


Coleção: Trilogia Hopeless - volume 1











Um Caso perdido não é um livro "lançamento" e tão pouco recém lido por mim ( acredito que o tenha lido lá por agosto ou setembro de 2014) mas existe um motivo muito especial em eu querer fazer uma resenha dele aqui no blog: ele foi o melhor livro lido por mim no ano de 2014!

Embora eu acredite que muitos já o conheçam, e saiba que existem várias resenhas sobre ele na internet, o intuito do meu blog é falar dos livros que estou lendo, dos livros que quero ler e logicamente dos meus livros preferidos, então, seria impossível não falar dele aqui.

Tenho lido e gostado bastante de livros "New Adult" ultimamente, mas,Um Caso Perdido vai muito além de um romance jovem, ou um drama de juventude. 
Não colocarei sinopse, pois ele já é um livro quase impossível de se resenhar por conter muitas reviravoltas e mistérios, irei somente contar o pouco da história que é possível contar sem spoilers, com minha opinião e impressão inseridas ok?


Sky é uma garota de 17 anos que tem uma educação um pouco atípica para os jovens de hoje em dia, ela mora com sua mãe adotiva Karen que além de ser completamente avessa a tecnologias (televisão,celular, computador,etc) educou Sky em casa sua vida toda (o que nos EUA não é algo exatamente anormal).
Embora sua vida seja um pouco excêntrica, Sky não é uma garota bitolada e até se considera bem “descolada”, ela e sua melhor amiga e vizinha Six, gostam de colecionar relacionamentos superficiais com garotos, os encontram de madrugada às escondidas, mas nunca deixam a relação se tornar mais íntima, seja física ou emocionalmente.

Como está prestes a fazer 18 anos, Sky consegue convencer Karen a deixa-la frequentar a mesma escola de Six, o que acaba não saindo como o planejado, pois, Six consegue uma vaga em um intercâmbio na Europa e Sky se vê sozinha em um  ambiente estranho e hostil (as meninas da escola sabem e não gostam da fama de Sky ser “pegadora” e mesmo antes de conhece-la pessoalmente já tem um pré-julgamento estabelecido) o que torna os dias na escola bem mais difíceis do que Sky poderia imaginar, pelo menos até o dia em que ela conhece Dean Holder.

Holder é um garoto lindo, cheio de personalidade e que parece logo de cara ter um interesse muito curioso em Sky. 
A garota que no início se sente meio relutante em baixar a guarda e deixa-lo se aproximar, aos poucos vai criando uma relação de apego com Holder, que também é conhecido na escola por sua má reputação. O sentimento que Sky começa a nutrir por Holder que a principio era mera curiosidade a seus respeito, vai se transformando em algo novo e conflitante em sua vida, que é se apaixonar por alguém.


O relacionamento de Holder e Sky é intenso desde o início do livro e não é por serem jovens que se torna um romance meloso, é uma química instantânea, e é divertido ver os dois descobrindo e reagindo a algo tão novo e que parece tão certo em suas vidas mesmo que elas não sejam tão certinhas assim.

Ao mesmo tempo em que Sky vai se entregando e confiando em Holder, fatos obscuros de seu passado vão vindo atona, lembranças vão ressurgindo e trazendo dúvidas a sua vida sobre um passado que deveria ter ficado enterrado anos trás mas que nunca será superado se não for enfrentado.

Ao mesmo tempo em que Sky nos conta o que acontece em seus dias atuais,conhecemos também aos poucos o passado dela, primeiro em pesadelos, depois em vagas lembranças de 13 anos atrás quando algo de muito sério aconteceu em sua vida.

O livro é narrado em primeira pessoa, pelo ponto de vista de Sky, a estória te prende do início ao fim, mas, é da metade do livro em diante que se torna realmente impossível largar a leitura!

Os personagens secundários não são ofuscados, senti empatia por Karen, por Breckin, o único amigo que Sky faz na escola e até por Six, que mesmo aparecendo pouco no livro é uma personagem cativante e divertida, achei-os bem substanciais, personagens com personalidade diria, tinham uma razão de estar lá, um propósito real no enredo.


Não posso contar mais, qualquer tentativa de explicar o quanto este livro é realmente incrível, diferente, memorável e inesquecível seria spoiler, é tipo aquelas reviravoltas inesperadas que você nunca, mas NUNCA imaginaria possível ou conseguiria prever, sabe? 
Só posso dizer que tudo tem um porque, o fato de Sky ter alguns medos, os pesadelos, sua forma de nunca querer demonstrar seus sentimentos ou melhor, de não querer TER sentimentos, tudo isso tem um motivo. 
A única dica que posso dar é que todos os mistérios de Holder também são explicados e tem uma razão de ser, o que é ótimo, pois você é envolvido por um drama que será desvendado, você não vai ficar no vácuo como em muitos livros que não aprofundam o tanto que deveriam na hora de explicar atitudes e sentimentos dos personagens.

É uma estória que ao mesmo tempo em que nos faz pensar ser inimaginável, poderia e pode acontecer a qualquer momento na vida real o que torna a experiência de leitura deste livro muito mais dilacerante.

Durante a leitura tive sentimentos tão conflituosos, senti medo, angústia, amor, chorei, sorri 10 minutos depois, enfim, é uma montanha russa emocional que te chacoalha, te desestrutura por inteiro sem em momento nenhum perder um lado doce,de ter delicadeza ao lidar com assuntos polêmicos que machucam, enfim, é um livro que te faz sentir...simplesmente sentir!

Espero que eu tenha deixado curioso quem ainda não leu e juro, não seria a toa que eu consideraria este livro meu favorito de 2014, ele realmente é um favorito para toda a vida!

Não tenha receio em lê-lo por se tratar de uma trilogia, pois, os 2 livros seguintes que ainda não foram lançados no Brasil não são continuação são estória, o livro 2 (Losing Hope) é a mesma estória narrada pelo ponto de vista de Holder e o livro 3 (Finding Cinderella) é apenas um outro conto que também tem Sky como protagonista.

Vale muito a leitura!

Se você já leu Um Caso Perdido, deixa sua opinião dele aqui pra mim, vou adorar trocar idéias sobre Sky e Holder.


Alice